Política AML

A Paxful, Inc. e a Paxful USA, Inc. (individual e coletivamente, a "Empresa"), incorporadas sob as leis do Estado de Delaware, prestam serviços através de um mercado P2P (peer-to-peer) para a compra e venda de bitcoin, a moeda digital descentralizada ("bitcoin").

A Empresa está registada como uma empresa de prestação de serviços monetários na United States Treasury Department's Financial Crimes Enforcement Network (Rede de Execução de Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, "FinCEN"). As políticas e procedimentos de Combate ao Branqueamento de Capitais ("AML") da Paxful são concebidas para impedir atividades ilícitas na plataforma, proteger os utilizadores, o negócio e as comunidades de moedas digitais e serviços financeiros da exploração por criminosos. A Empresa está em conformidade com os requisitos da Lei de Sigilo Bancário e regulamentos e orientações relacionados com o FinCEN.

Como parte das políticas de conformidade da Paxful, as políticas e procedimentos de Know Your Customer ("KYC") para clientes individuais e institucionais foram concebidas para permitir à Empresa formar uma convicção razoável de que conhece a verdadeira identidade dos seus clientes para os quais essa análise foi realizada. A política aplica-se a todos os utilizadores da plataforma e é seguida por todos os funcionários, consultores, executivos, proprietários e directores da Empresa.

Utilizando uma abordagem baseada no risco como parte da Conformidade KYC & AML, a Paxful adotou as seguintes medidas:

  • Nomeação de um diretor de conformidade que possua um nível suficiente de experiência e independência e seja responsável pela supervisão da conformidade com a legislação, regulamentos, regras e orientações do sector;
  • Estabelecer e manter uma política de KYC baseada no risco, CDD (Due Diligence) do cliente e política Enhanced Due Diligence (EDD);
  • Estabelecer níveis baseados no risco para verificação dos utilizadores da empresa (consulte este post do Blog);
  • Cooperação com pedidos de aplicação da lei e requisitos regulamentares locais;
  • Apresentação de Relatórios de Atividades Suspeitas ("SARs");
  • Formação BSA/AML/OFAC em toda a empresa;
  • Utilização de vários sistemas anti-fraude;
  • Monitorização contínua de transações baseadas em regras;
  • Investigações utilizando análise de blockchains;

Arquivamos SARs se soubermos, suspeitarmos ou tivermos motivos para suspeitar que atividades suspeitas ocorreram na nossa plataforma. Uma transação suspeita é frequentemente uma transação que é inconsistente com os negócios, atividades pessoais ou meios pessoais conhecidos e legítimos de um utilizador. O nosso Diretor de Conformidade analisa e investiga atividades suspeitas para determinar se foram recolhidas informações suficientes para justificar o registo de uma SAR. O nosso Diretor de Conformidade mantém registos e documentação de apoio de todas as SARs que foram apresentadas.

A Empresa também adotou as políticas e procedimentos de sanções da OFAC para proteger a plataforma contra a utilização de transações proibidas, por indivíduos sancionados ou com o objetivo de burlar, evitar ou contornar as sanções dos EUA e globais.

A Paxful coopera plenamente com todas as listas de sanções da OFAC, Specially Designated Nationals (SDN) e Blocked persons. Consulte o seguinte link para obter a lista da Empresa de países proibidos com base no risco que estão impedidos de utilizar a plataforma da Paxful.

Caso a Paxful lhe tenha fornecido uma tradução da versão em língua inglesa desta política, o cliente concorda que a tradução é fornecida apenas para sua conveniência e que as versões em língua inglesa da política irão reger a sua relação com a Paxful. Se houver alguma contradição entre o que diz a versão em língua inglesa da política e o que diz uma tradução, então a versão em língua inglesa deve prevalecer.