What is a Smart Contract
Insights

Tudo que você precisa saber sobre contratos inteligentes

Além das criptomoedas, outra inovação chamada contratos inteligentes é amplamente difundida na família de tecnologias de blockchain. Eles possibilitam contratos mais garantidos, confiáveis e com menos papelada, além de transações que dispensam a confiança entre as partes envolvidas. Mas antes de saber como fazem tudo isso, vejamos o que são eles.

O que é um contrato inteligente?

O criptógrafo norte-americano Nick Szabo foi o primeiro a abordar o conceito de contratos inteligentes em 1994, uma década e meia antes do nascimento do bitcoin. Hoje em dia, esses contratos se tornaram muito comuns no espaço de criptomoedas e blockchain.

Um contrato inteligente é um “aplicativo ou programa executado em um blockchain”, ou a poderosa tecnologia por trás de milhares de moedas digitais atuais, como é o caso do bitcoin (BTC). É um programa ou protocolo desenvolvido para realizar automaticamente ações necessárias segundo os termos de um acordo. Ele funciona como um acordo ou contrato convencional usado para comprar ou vender bens ou carros, trocar dinheiro e várias outras atividades, mas de forma digital.

No espaço do blockchain, os contatos inteligentes são redigidos como códigos. Juntamente com os termos e condições do contrato, esses códigos estão disponíveis publicamente no livro-razão descentralizado e distribuído que registra transações ou blocos.

Quando ocorre a data de vencimento ou o evento estabelecido no contrato, o código ou acordo é realizado. Na verdade, o ethereum (ETH) é a primeira criptomoeda que possui contratos inteligentes executados na Ethereum Virtual Machine (EVM). A EVM fornece um tempo de execução que realizará o código ou acordo redigido no contrato.

As três partes essenciais de um contrato inteligente

Como qualquer outro contrato ou acordo, um contrato inteligente é composto de três importantes componentes: os signatários, o objeto e os termos. Vamos definir de modo resumido cada um deles.

  1. Signatários. Todas as partes envolvidas no acordo precisarão colocar sua assinatura digital no contrato inteligente, o que significará seu acordo ou desacordo com os termos e condições nele estabelecidos.
  2. O objeto do contrato. Ele se refere à matéria abordada pelo contrato. Pode ser um carro, um imóvel ou um prontuário médico, para mencionar apenas algumas possibilidades.
  3. Os termos específicos. Esses termos devem ser específicos, claros e incluir todas as regras, penalidades e compensações associadas a tal acordo.

Como funcionam os contratos inteligentes?

Mencionamos que essa tecnologia funciona como qualquer outro contrato, mas de maneira digital e mais confiável. Às vezes, as pessoas são vítimas de golpes ou enganadas por seus parceiros de negociação ou transação, e esse é um dos tantos riscos que podem ser evitados com os contratos inteligentes.

Os contratos inteligentes possibilitam acordos que “dispensam confiança”, ou seja, as partes envolvidas não precisam se conhecer para estabelecer confiança. Cada uma delas assume compromissos ou acordos por meio do blockchain, o que garantirá que o contrato não seguirá adiante sem o cumprimento das condições declaradas.

Não será necessária a participação de nenhum terceiro ou intermediário para celebrar e proteger o contrato, o que possibilita menos erros humanos e custos operacionais.

O que você ganha com contratos inteligentes?

Mencionamos que os contratos inteligentes possibilitam transações confiáveis e sem uso de papel. Então, vejamos que benefícios você obtém com eles.

Eficiência e praticidade

Processar documentos de forma manual — geralmente com pilhas de papel — pode ser entediante e exigir muito tempo. Além disso, há um possível risco de que seus documentos sejam perdidos ou roubados se não forem guardados em um local bem seguro. No caso dos contratos inteligentes, os documentos e outros dados essenciais são registrados digitalmente, fazendo com que o acompanhamento desses registros seja muito mais fácil e eficiente.

Confiança e total controle do contrato

Seus documentos são mantidos em um livro-razão seguro e compartilhado, e não no armário ou cofre de outra pessoa. Um contrato inteligente não precisa ser executado nem monitorado por intermediários, dando a você total controle sobre ele. O blockchain também assegura a precisão de todos os dados fornecidos por ambas as partes.

Resultado garantido

Além disso, os contratos inteligentes funcionam como um serviço de depósito de garantia que mantém o dinheiro e os direitos de titularidade em um sistema seguro e automatizado até o prazo acordado pelas partes. Ele pode ser programado com as funções de um intermediário, por exemplo, e funciona segundo um princípio “se… então” de ação condicionada.

Por exemplo, se o comprador de um imóvel realizar o pagamento pela propriedade, então o proprietário liberará a titularidade e as chaves para o comprador.

Segurança reforçada

Com contratos inteligentes, seu acordo permanece criptografado. Como emprega criptografia complexa, ele não pode ser acessado facilmente e é muito difícil de ser violado por um hacker.

Economize algum dinheiro

Como contratos inteligentes não precisam de intermediários, corretores imobiliários, consultores financeiros, tabeliães ou outros possíveis terceiros, você não vai precisar pagar tanto por esses serviços. Economize nisso e gaste o seu dinheiro em situações mais necessárias.

Onde você pode usar contratos inteligentes?

Ainda que seja mais comum no universo de fintechs, essa tecnologia pode beneficiar os mais diversos setores. Segue uma lista de onde você pode aproveitar esse incrível potencial.

1. Titularidade de bens

Esse é uma das primeiras de tantas áreas em que você pode usar um contrato inteligente. Desde propriedades imobiliárias até carros e joias, usar essa tecnologia acaba com a necessidade dos serviços caros prestados por corretores e advogados. Os compradores de bens podem fechar um acordo por conta própria.

2. Prontuários médicos

Hospitais do mundo todo têm um enorme volume de prontuários médicos que devem ser mantidos confidenciais e disponíveis somente a pacientes, seus familiares e prestadores de saúde. Como bancos e outras instituições que mantêm informações sigilosas, os hospitais são alvo de violações de dados e ciberataques. Com contratos inteligentes, os registros de saúde dos pacientes são mantidos criptografados e seguros, e apenas pessoas específicas podem acessar os dados sigilosos.

3. Transações peer-to-peer (P2P)

Contratos inteligentes podem ser personalizados segundo as necessidades da empresa, pessoa ou negócio. Plataformas podem criar esse tipo de contrato, definir suas regras e condições, e usá-lo para várias atividades e transações.

Além dos exemplos mencionados, os contratos inteligentes também são usados no desenvolvimento de produtos, registro de votações, pesquisas médicas, processamento de seguros e transações hipotecárias, entre outras áreas.

Resumindo

Essa tecnologia funciona como um acordo digitalizado, mas de forma mais precisa, eficiente, barata e fácil. Ele é garantido por um princípio “se… então” que sinaliza quando o acordo deve prosseguir ou ser encerrado.

Se muitos setores e empresas adotarem essa tecnologia no futuro, transações e acordos — além do armazenamento e do compartilhamento de dados — serão mais seguros e confiáveis nos próximos anos.

Patch de Leon

Patch is a broadcast journalism graduate who explores the fascinating world of crypto. She enjoys writing research-based pieces and creative features but never without a cup of coffee and her loose hoodie. You can find her scrolling through Spotify, streaming dark thriller shows, or starting books she’s never finished.

More Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *