Não resta dúvida de que o bitcoin (BTC) — a primeira criptomoeda, nascida a partir de um criador envolto em mistério — se manteve durante toda sua existência como a maior das criptomoedas por sua alta capacidade de comercialização. Infelizmente, isso acaba ofuscando outros criptoativos no mercado. E o fato de o BTC seguir batendo todos os recordes de preço não ajuda muito a mudar essa situação. 

Mas uma criptomoeda em particular parece estar crescendo rapidamente das sombras. Vejamos mais a fundo o ethereum (ETH), a segunda criptomoeda, que tem uma capitalização de mercado superior a US$ 138 bilhões no momento em que este artigo é escrito. 

De onde veio

Antes de vermos como funciona o ETH, vamos falar de como ele foi criado. A ideia surgiu da cabeça de um cientista da computação russo-canadense de 19 anos de idade chamado Vitalik Buterin. Ele começou a se interessar pela tecnologia de blockchain quando se envolveu com o bitcoin como programador, chegando até mesmo a ser cofundador da Bitcoin Magazine. Buterin começou então a imaginar uma plataforma que fosse além dos casos de uso financeiros possibilitados pelo bitcoin. Assim, ele lançou em 2013 um artigo técnico que descrevia o que acabaria se tornando o ETH e o blockchain do ethereum

Em 2014, Buterin e os outros cofundadores do ETH lançaram uma iniciativa para levantar recursos em que venderam ether — tokens do ethereum — para dar vida à visão que tinham. Eles conseguiram arrecadar mais de US$ 18 milhões, e a primeira implementação ocorreu no ano seguinte. Desde então, centenas de desenvolvedores embarcaram na ideia, e a plataforma teve um crescimento vertiginoso a ponto de se tornar a segunda criptomoeda do mercado. 

O que é o ethereum?

O ethereum é uma plataforma de software com código aberto, descentralizada e baseada em blockchain. Em essência, é uma plataforma que permite o uso de contratos inteligentes e aplicativos descentralizados (DApps) que eliminam as inconveniências de tempo de inatividade, fraudes ou interferências de terceiros. 

Contratos inteligentes são contratos executados de forma autônoma em que o acordo firmado entre o comprador e o vendedor é escrito diretamente em linhas de código. Esse é um dos recursos mais conhecidos do ETH e que leva muitos a acreditarem na longevidade dessa plataforma. Fundamentalmente, contratos inteligentes permitem que pessoas troquem dinheiro, ações, propriedades ou praticamente qualquer coisa sem precisarem de um advogado, escrivão ou intermediário externo. 

Isso pode cortar consideravelmente custos com terceiros. Digamos que você queira comprar uma ação usando a plataforma. O que torna o ETH tão interessante é que ele automatiza totalmente o processo. Se você não cumprir a sua parte do acordo, a transação não será concretizada, e o mesmo vale para o vendedor. Basicamente, se uma parte tentar enganar a outra, o ethereum cancelará a transação. Essa é a principal aplicação do ethereum e o que faz com que ele se destaque de outras criptomoedas.

aplicativos descentralizados (DApps) são aplicativos digitais executados em uma rede de blockchain ou peer-to-peer (P2P) em vez de em um único computador. Além disso, por serem descentralizados, não há nenhuma autoridade que controle a rede. O ethereum também oferece aos desenvolvedores um conjunto abrangente de ferramentas para desenvolver esses DApps. 

Por exemplo, um desenvolvedor pode fazer um aplicativo semelhante ao Twitter usando a plataforma do ETH e publicá-lo para que qualquer usuário poste mensagens. Como resultado dessa natureza descentralizada, as pessoas poderiam postar o que quisessem sem que ninguém — nem mesmo os próprios criadores do aplicativo — pudesse excluir suas postagens. 

Ethereum vs. bitcoin

Ethereum vs. Bitcoin

Você deve estar se perguntando agora qual é a diferença entre o ETH e o BTC. Se os dois são criptomoedas que pavimentam o caminho para transações mais econômicas, quais são suas principais diferenças? 

Bitcoin (BTC) Ethereum (ETH)
O bitcoin atua principalmente em negociações de criptomoedas. O ethereum oferece muitos métodos de troca, entre eles criptomoedas e contratos inteligentes.
O bitcoin usa o protocolo de segurança chamado prova de trabalho (PoW), isto é, um sistema que requer que todos os seus mineradores verifiquem um bloco utilizando computadores de última geração. O ethereum adota o protocolo de segurança denominado prova de participação (PoS), que torna o sistema de consenso totalmente virtual. Em lugar de mineradores, o PoS utiliza validadores que bloqueiam seus tokens ether no sistema como meio de participação. A partir daí, os validadores apostam nos blocos que acreditam que devam ser adicionados ao blockchain. 
O tempo médio por bloco de bitcoin gira em torno de 10 minutos.  O tempo médio por bloco de ethereum é de 12 segundos, o que torna suas transações muito mais rápidas. 
Os mineradores de BTC só recebem suas recompensas depois de verificarem os blocos.  Já a plataforma do ethereum não oferece recompensas por blocos. Em vez disso, os mineradores são recompensados com taxas de transação. 
A maior parte do limite máximo da oferta de 21 milhões de BTC já foi minerada.  O ethereum não possui nenhum limite máximo de oferta. Em vez de ter um limite rígido, o fornecimento de ETH aumenta a cada ano. 
O bitcoin só permite transações públicas, ou seja, elas são à prova de censura e não permissionadas. O ethereum permite tanto transações permissionadas como não permissionadas. 

 

O futuro do ETH

Nos últimos anos, o ethereum reforçou sua segurança e se tornou um meio de transação ainda mais seguro. Uma das melhores coisas do ETH é que ele não é tão monopolista como o BTC. Isso significa que, quando a plataforma é desafiada com problemas de segurança ou escalabilidade, a comunidade pode ser mais aberta a reformas. 

Pela forma como a plataforma está construída, é evidente que os desenvolvedores não estão nessa apenas para ganhar dinheiro rápido. Muita gente parece estar nisso para o longo prazo, o que abre mais espaço para oportunidades de crescimento no futuro. 

Por enquanto, ninguém sabe realmente para onde vai, mas uma coisa é certa: estamos aqui para descobrir na prática. Neste momento, o preço do ethereum está um pouco abaixo dos US$ 1.100. Mas quem sabe… Talvez o ETH venha a ser a moeda que vai ofuscar as demais.